“Mas, de repente, me dei conta, no meio daquela pequena cena de loucura, que ter alguém que nos entenda, que nos deseje, que nos veja como uma versão melhorada de nós mesmos é o presente mais incrível. Mesmo que não estejamos juntos, saber que, para você, eu sou esta pessoa é uma fonte de vida para mim.”

A Última Carta de Amor. (via auroriar)

Reblog1 day ago with 9,489 notes

“A gente alonga a história, nem que seja para dizer que chorou. Porque terminá-la, colocar um ponto definitivo, é duro demais. A gente vira dor para não virar fim.”

Tati Bernardi. (via univerbos)

Reblog1 day ago with 2,151 notes

Eu posso negar. Posso ignorar. Posso fingir. Posso sufocar. Mas no fundo eu sei que essa dorzinha no peito na hora de dormir é uma saudade gigantesca de estar com você. Eu sei que essa falta de ar é saudade do seu cheiro no meu travesseiro. Eu sei que esse tédio é saudade de estar deitada no seu peito, ouvindo você contar alguma coisa. E é claro que eu sei que esse arrastar dos dias é a minha rotina querendo ligar pra você e “ei, por que você não aparece qualquer dia pra um fondue, uma pizza, um filme?”. Mas eu sei mais do que tudo, que esse desespero que eu sinto pra te esquecer e seguir em frente é o meu cérebro tentando me fazer enxergar que tudo na vida uma hora tem que passar, e que devo seguir em frente, assim como você seguiu. E eu sei… como eu sei… que fácil não vai ser, mas impossível muito menos.

Reblog2 days ago with 0 notes

“E a pior parte de tudo isso é ver o quanto você me mudou. E eu sinceramente, não gostei de algumas dessas mudanças. Eu agora não sinto nada. E essa sensação é a pior que existe. É ser tocada no físico sem ser tocada na alma. É dar risada alta que não chega à mente. É pensar “eu gostava tanto disso” e agora não querer mais. É ter medo de estar perto de alguém, de se entregar. Eu não sei… eu sinto que perdi em mim algo muito importante. Eu sinto que eu perdi aquele apreço pelos contos de fadas, pelas histórias de amor. Perdi aquela sede de frio na barriga e de primeiros encontros, primeiros beijos. Me sinto alguém tão fria e vazia agora e eu não gosto disso. Eu sinto falta de criar cenas ridiculamente clichês na minha cabeça com qualquer um que me desse um sorriso na rua, e eu imaginava toda uma história de filme da sessão da tarde que poderia acontecer. E agora… agora eu não consigo nem mesmo imaginar nós dois juntos novamente. E é esse tanto que você me esfriou. Eu sinto falta daquela garota sonhadora, clichê e brega. Ela, pelo menos, sentia alguma coisa.”

Agora eu entendo aquele “I was dreamer before you went and let me down.”

Reblog3 days ago with 0 notes

Um dia você vai amar alguém tanto quanto eu te amei. Talvez mais. E eu não desejo que essa pessoa vá embora, pois eu sei que dói demais. Mas eu desejo que você sinta como é sentir uma saudade tão forte que é como estar afogando. Desejo que você experimente como é a sensação de abrir mão de você em favor do outro. Desejo que você entenda como é ir contra tudo, todos e contra você e seus próprios princípios para ver alguém feliz. Desejo que você sinta essa vontade imensa de estar sempre perto. Que queira sempre mais e mais dessa pessoa. Que você saiba como é amar mais do que ser amado. Mas mais do que tudo isso, desejo que quando amar alguém assim, que se lembre de mim. Pois só assim, nesse dia, você vai entender como eu te amei.

Reblog5 days ago with 0 notes

“É claro que o dia a dia traz atritos. Traz desgaste. Traz chatice. Traz incomodação. Ei, ontem fui eu que limpei o xixi da cachorra, hoje é a sua vez. Ei, coloca a toalha para lavar. Tem que comprar mais pão. Pagou a conta de luz? Poxa, eu já pedi pra não fazer barulho enquanto eu tô trabalhando. Por favor, cuidado, não bate a porta. Essas coisas são pequenas perto do todo. Perto do amor de verdade. Perto do alívio que a gente sente ao deitar e pensar meu Deus, eu achei o amor da minha vida.”

Clarissa Corrêa.    (via revejo)

Reblog1 week ago with 5,447 notes

“Deu saudade e uma vontade de escrever sobre você, mas o texto ficou inacabado, assim como a nossa história.”

Querido John (via auroriar)

Reblog1 week ago with 8,342 notes

“E o amor?, você me pergunta. O amor, ah, sei lá. O amor nem dá pra definir direito. Acho que é um desejo de abraçar forte o outro, com tudo o que ele traz: passado, sonhos, projetos, manias, defeitos, cheiros, gostos. Amor é querer pensar no que vem depois, ficar sonhando com essa coisa que a gente chama de futuro, vida a dois. Acho que amor é não saber direito o que ele é, mas sentir tudo o que ele traz. É você pensar em desistir e desistir de ter pensado em desistir ao olhar pra cara da pessoa, ao sentir a paz que só aquela presença traz. É nos melhores e piores momentos da sua vida pensar preciso-contar-isso-pra-ele. É não querer mais ninguém pra dividir as contas e somar os sonhos. É querer proteger o outro de qualquer mal. É ter vontade de dormir abraçado e acordar junto. É sentir que vale a pena, porque o amor não é só festa, ele também é enterro. Precisamos enterrar nosso orgulho, prepotência, ciúme, egoísmo, nossas falhas, desajustes, nosso descompasso. O amor não é sempre entendimento, mas a busca dele. Acho que o amor não é o caminho mais fácil, pois mais fácil seria dizer a-gente-não-se-entende-a-gente-não-combina-tchau-tchau. O amor é uma tentativa eterna. E se você topar entrar nessa saiba que o amor encontrou você. Seja gentil, convide-o para entrar.”

Clarissa Corrêa. (via revejo)

Reblog1 week ago with 7,121 notes

“Quero te dizer que muito mais importante que ter alguém é ter paz. Muito mais importante que ter alguém é saber lidar com você mesma. É se gostar, se curtir, se suportar, se superar todo dia. É gostar do que vê e do que não é visível aos olhos. É engolir e sorrir para a própria companhia. Muito mais importante que ter alguém é estar todo dia verdadeiramente apaixonada pelo “alguém” mais importante da sua vida: você mesma.”

Clarissa Corrêa.   (via cantamor)

Reblog1 week ago with 5,236 notes