“Da próxima vez vê se bate na porta e pede permissão para entrar. A minha vida está uma bagunça e estou prestes a começar a organizá-la, não me atrapalha.”

Raphael Henrique, Desalentou.  (via involuntus)

Reblog22 hours ago with 2,644 notes

“Da próxima vez vê se bate na porta e pede permissão para entrar. A minha vida está uma bagunça e estou prestes a começar a organizá-la, não me atrapalha.”

Raphael Henrique, Desalentou.  (via involuntus)

Reblog22 hours ago with 2,644 notes

“I can’t hate you! I tried, I really did! But the only thing I can do is miss you. I miss you so much it physically hurts. I’m in pain for you. And you know what’s worse? I don’t think you miss me. I mean, I wish you missed me but I don’t think you do. I talked to your mother today, asked if she could bring me some clothes I left behind. She misses me. But, anyway, I’ll wait for someday you’re not at home and I’ll go to your house to pick up my clothes and say goodbye to your mother and your grandma. And of course, I’ll say goodbye to the dog. God, I fucking miss our life together. I miss waking up by your side, I miss you trying to scary me when I wake up. I miss us kissing in your couch, or fighting for the remote control. I just miss it all. And you know what’s even worse? I can’t take you out of my life! I still wear your ring. I still sleep with your clothes. I can’t even take our pictures off of my wall. Or my cellphone. I just can’t. Cause doing this I’d be accepting that we are actually broken apart. And accepting this is even more painful. And here I am, writing in english, so this way you wouldn’t know. I mean, you wouldn’t know even if it was drawn cause you don’t check here up. But I check up on you, I’m sorry. I just love you, and miss you. I hope someday I’ll just like you as a friend, and maybe we can even be friends. But now, I think I would break in pieces if I saw somewhere. I love you. As I always did. As I’ll always do.”

I miss you. But do you miss me?

Reblog1 day ago with 1 note

“O ruim de saber que não vou conseguir manter você perto de mim, é saber que mesmo se eu tentasse, nada iria te fazer ficar, porque, para você, eu nunca fui suficiente, e é isso, é isso que me quebra. É isso que me ferra, é isso que me deixa assim, é você, não, é tudo sobre você.”

Mark Hr.  (via epdemic)

Reblog1 day ago with 8,043 notes

“Só queria dizer que continuo vagando pela nossa antiga casa. Pensando em como tudo era antes, pensando em tudo que nós fomos. Aquele último telefonema, eu deveria ter dito tudo que sinto, maldito orgulho. Enfim, só queria dizer que estou com saudades, uma puta saudades de você. Sei que nada vai te trazer de volta, mas é impossível não sentir saudades de tudo que fomos, todas as noites sem dormir só pra ver quem aguentava ficar mais tempo acordado, todas as noites que ao invés de estar na cama, estamos assistindo aqueles filmes idiotas, mas que ao seu lado eram perfeitos. Sei que a culpa disso tudo é minha, mas amor, eu errei e sinto sua falta, esse edredom sem você é insuportável. Achei aquele lenço que você estava procurando, ainda está com seu cheiro, na verdade estava, agora está com cheiro de Whisky, desculpa, lavo antes de te mandar pelo correio. Se você quiser pode vim buscar, eu deixo. Aproveita e fica por aqui, só por alguns dias, meses, ou a vida toda, eu não me importo de voltarmos a morar junto. Vai dizer que não sente falta? Nem do sexo? Sei que sente falta de alguma coisa em mim. Sei também que tinha prometido te deixar em paz, mas você mesmo me jogou na cara que eu quebro várias promessas, então não faz nenhuma diferença. Voltei a fumar, mas só de vez em quando. Não é um vicio mais, meu vicio na verdade sempre foi você. Desculpa qualquer coisa que fiz de mal pra você. Ontem fiquei sabendo que você já chorou muito por minha culpa, fumei 3 carteiras de cigarro e não parei de beber até agora por causa disso. Estou tentando te esquecer, mas não quero. Apesar da dor, ainda é bom te amar. Apesar de tudo, nunca vou deixar de te querer, esta carta já esta ficando chata, nem eu iria ler ela toda. Mas como você sempre gostou de ler o que eu escrevo, essa é pra você, meu amor.”

Prestigiador.   (via involuntus)

Reblog1 day ago with 1,399 notes

“E mais uma vez, eu abri uma página sua de uma rede social e fiquei olhando sua foto. Como eu já sorri olhando praquilo, você não tem idéia. Mas das ultimas vezes, infelizmente não era sorrindo que eu olhava, era com desanimo, com saudade e mágoa misturadas. Porque você tinha que morrer? Porque você tinha que matar tudo que eu sentia? Me obrigar a morrer também. Me obrigar a fingir estar viva pra todo mundo. Me obrigar a não chorar, quando tive vontade de chorar. Vontade de te esmurrar, te dizer que você é um idiota, um babaca, um cretino, um fraco, nunca passou disso. Nunca uma piada sua foi engraçada, nunca você me surpreendeu. Nunca. Mas eu não consigo deixar de pensar em você, a cada dia, a cada ato meu. E quando eu procuro outras pessoas, eu procuro imaginando você me vendo. E tendo ódio de mim. Porque eu quero que sinta ódio. Porque ódio significa alguma coisa, e é melhor que indiferença. Você que já foi tudo, já foi minha esperança, foi meu futuro imaginado, hoje não é nada. Não passa de uma foto numa rede social. Se eu vivo bem sem você, porque eu continuo te olhando? Porque eu sempre volto aqui? Porque eu ouço musicas que falam de tristeza? Por quê? Você não vale isso. Mas eu faço. Eu continuo fazendo. Como uma cerimônia de luto, eu sigo a risca. Mas acontece que você não morreu de verdade, do jeito que eu preferia que morresse. Você está ai vivo, vivendo sua vida, fazendo suas coisas, feliz, tranqüilo, sem sentir minha falta, sem olhar minha foto em rede social. Porque eu não consigo? Porque você não podia ser alguém? Eu esperei muito de você? Não. Eu não esperei nada, eu entendi tudo, eu entendia o que ninguém entenderia. Eu respeitei. Eu fiz como você quis. Tudo. Eu me anulei. Eu deixei de me amar, pra todo meu amor ser só seu. Eu voltei atrás. Eu chorei, eu pedi desculpas, eu agüentei besteiras. Agüentei tudo. Ajuntando do chão, migalhas do seu carinho, migalhas do seu amor. Do seu jeito explosivo e calmo. Um dia me amando como se a terra fosse acabar depois da meia noite. No outro dia um desconhecido me pedindo pra tratá-lo como qualquer um, por favor. Você é meu personagem favorito. O dono de todos os meus textos, de todas as minhas histórias. O dono da curvinha das minhas costas. E eu tenho que dizer isso agora, só pra uma foto numa rede social. Porque você morreu na minha vida. Você pediu demissão, seu cargo era o de presidente, era membro honorário do conselho, tinha tapete vermelho e eu me vestiria até de secretária se te agradasse. E você pediu demissão, sem aviso prévio nem nada. Me diz agora? Como viver bem? Como sobreviver, sem essa ponta de angustia? Eu sou feliz, cara. Eu sou feliz demais. Mas eu sou infeliz demais, quando penso em você. Quando penso no que poderia ser, no que poderia ter sido. Eu sei que não dá. Eu nem quero que dê. Não quero mais. Mas não sei o que fazer com esse nó. Vai passar né? Eu sei. Com o tempo eu não vou mais olhar sua foto, nem sofrer, nem pensar o quanto é infeliz tudo o que aconteceu. Tomara que passe logo. Porque a vontade de te ressuscitar as vezes, me domina.”

Tati Bernardi. (via auroriar)

Reblog1 day ago with 20,487 notes

“O que estou querendo dizer é que tem horas que você precisa botar tudo pra fora. Toda a raiva. Toda a dor.”

John Green.  (via distanciarei)

Reblog1 day ago with 1,344 notes

“Queria ter te conhecido antes, muito antes, para que nenhum de nós dois tivesse medos ou cicatrizes. Queria ter estado com você quando seu coração descobriu o que era amor, quando seu corpo descobriu o que era desejo, e antes que pudesse sofrer eu estaria do seu lado te amando e me entregando, e juntos poder ter aprendido as lições da vida e do coração. Queria ter te conhecido quando suas esperanças começaram a nascer, quando seus sonhos ainda eram puros e seus ideais ainda ingênuos. Pena termos nos encontrado só agora, já com o coração viciado em outros amores, com uma imagem meio falsa do que é felicidade, do que é se entregar. Queria ter te encontrado numa nova vida, num outro tempo, em que não precisássemos temer o nosso futuro, nem nossos sentimentos.”

Autor Desconhecido.  (via involuntus)

Reblog1 day ago with 39,400 notes

“Longe ou perto, tanto faz. Quem quer ser feliz corre atrás.”

Clarice Falcão.  (via s-i-m-p-l-i-f-i-c-a-r)

Reblog3 days ago with 9,357 notes